domingo, 15 de janeiro de 2012

Amor próprio, aonde compra?

Fica novamente mais um rastro de humilhação, de falta de respeito, de ingenuidade, de falta de senso. Mais uma vez eu passo por isso, e me deixo passar. Me permito estar assim, me permito me jogar nessa situação. Nesse joguinho! Me permito ser assim, porque de fato nos últimos anos, sempre fui assim.
A falta de capacidade de viver com si próprio. De se olhar no espelho e se achar bom o suficiente. A tal frase de "AUTO SUFICIÊNCIA". Cadê? Na verdade, posso até falar que não, mas já tive isso. Apesar de toda a carência envolvida, conseguia muito bem ser eu mesma e feliz sendo daquela maneira. Sem prestar contas e explicações a ninguém. Se fosse para ir pro pagode, por mais que de fato não gostasse do estilo musical, eu ia! E isso me unia de alguns amigos e me deixava feliz. Assim... pronto e fácil. Mas agora parece que toda essa fadiga de me erguer dá um pé para trás na situação (essa do pagode foi só um exemplo tosco hahaha).

Toda vez chorar, me amolar e me rastejar. Até quando? Será que tudo isso é necessário?
Espero que não, espero ter aprendido. Espero ser forte para aceitar! Espero continuar aprendendo!!

Em meio disso, sei que sou fraca e necessitada de atenção de outro alguém. Mas porra, até quando? Será que é só para isso que eu vou viver... a procura de alguém que me complete?
Eu preciso me completar. Eu preciso ME ACHAR.
Essa parte é difícil, para todos são. Mas sei lá... em meio de drugs and etc, eu me incluo na situação de decadência e desespero. Talvez sóbria eu aceite tudo, eu queira tudo isso, eu vou seguir um caminho novo. But, em um momento, a gente desvia, tem recaídas.
Mas isso não é bom é?! Viver assim, tão infeliz? Por não aceitar um fim??
CHEGA!

"Credo. Quer auto piedade Thaiane? Quer pena? Quer dó?!" palavras do anjinho mal e racional do lado direito do meu ouvido.
"Não. Tudo o que ela quer é paz" anjinho caridoso do lado esquerdo.
"Paz??? Que paz é essa? Thaiane você não sabe o que é isso, se mova, sua idiota! OTÁRIA!"
"afff, na verdade tenho que admitir, tem que se mover mesmo" concorda o bondoso.
"Mas afinal, eu acho que não tenho forças, de começar tudo de novo, criar tudo de novo, ser assim tudo de novo. Aceitar talvez uma solidão!" Eu penso.
"Você precisa de amor próprio e sabe disso! Chega de putaria! Aonde compra essa merda?" E eu fecho diálogos internos.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Escolhendo mudar.

A pior parte é começar tudo de novo! Começar do zero. Arranjar novos sonhos, novas metas e objetivos. Conseguir encontrar alguém/algo para te guiar. Ou qualquer coisa, não necessariamente uma pessoa ou objeto. Tudo isso é um poço de insegurança destruidor.

Você não se enxerga, tudo é defeito, tudo é motivo para não ser uma boa pessoa. Mas de fato o que preciso é encontrar esse amor próprio, que na verdade verdadeira, poucas vezes fui capaz de me amar do jeito que eu sou.

E afinal, por que vivem falando isso?! "Se amar antes de amar o próximo". Sei lá. Nunca tive vontade e nem fiz muito esforço para gostar e me aceitar. Talvez seja só mais um drama.

Hoje por exemplo meu humor está muito bom. Amanhã talvez não esteja... ou quem sabe daqui uma hora. Enfim. Minha bipolaridade me confunde e deixa as pessoas que estão ao meu redor malucas hahaha.

Mas tenho minhas características. Defeitos... muitos! Qualidades... algumas! Vai saber... como disse no post anterior, tenho sério problema em me auto avaliar.

Mas quem consegue? É muito mais fácil julgar o próximo! E se você disser que eu estou mentindo, a mentira é SUA (kkkkk brincadeira, tem gente que é mais madura)! Mas muitas pessoas não aguentam e não aceitam o peso da culpa, do arrependimento, das escolhas, dos acertos. Sei lá... complexidade infinita que persegue a todos!

Eu mesma admito que julgo muitas amigas minhas e na verdade acabo agindo de forma parecida e muitas vezes até igual! Sei lá... sei que isso é injusto da minha parte... mas pelo menos acabo aprendendo minha lição.

Cada um vive sua vida e tem seus motivos. Quem sabe todo esse "RECOMEÇAR" me dê um pique para seguir minha vida e deixar os outros seguirem a vida deles como quiserem.

É muito difícil. Sentimentos a flor da pele... mas espero que consiga me superar. Porque a vida é isso, nada mais que superação!

Eu, sinceramente, estou pronta para mais uma mágoa, mais uma decepção... mas também quero estar pronta para uma nova motivação, quero estar aberta para a felicidade. Hoje em dia eu reduzo o freio quando o assunto é "ser feliz". Talvez o medo de que as coisas vão dar errado.

É muita insegurança, eu sei! Mas acho que todos tem disso às vezes. Eu sempre tenho e, como muitas outras mulheres, concorda com o período menstrual. Ou seja a mardita TPM! Mas dá para sobreviver.

Você se olha no espelho se acha feia, gorda, infeliz, tudo é motivo para se auto deprimir. E todo esse lance de começar do zero, uma nova etapa da sua vida, me deixa ainda mais angustiada. E por que? Oras, pelo simples fato de um novo caminho, com incertezas, com medo e novas escolhas.

Mas aprendi muito ! E fugir não é uma opção no momento! Estou disposta a seguir meus novos traços e caminhos. Escolher novas coisas e ser feliz com isso. Lógico que esse papo de "positividade sempre" nunca resolveu nada para mim, mas vamos seguindo dia por dia para aproveitar tudo que essa vida nos dá.

Afinal, ela é a única coisa de valor essencial para você! Então acompanho com integridade, respeito, um pouco de revolta mas com vontade! E é essa vontade de viver de novo que me faz apagar um pouco esses medos e tentar ao mínimo ser feliz!

ps: Esse post e o último estão totalmente complexos e confusos hahahaha
*Minha situação atual*, mas prometo melhorar!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Me afogando em pensamentos.

Sempre tive uma dificuldade imensa para falar sobre mim mesma. Acho que a maioria das pessoas tem isso. Esse peso de se comprometer a alguma qualidade/defeito e essa limitação que fazemos com palavras jogadas. Pode se passar anos e mais anos e você continua com essa dificuldade.
Talvez seja nóia minha (tenho muitas), mas gostaria de me expressar abertamente sobre tudo o que sou. Que as pessoas conseguissem ver de verdade quem eu sou por dentro e por fora.

Aquela frase de que 'todo mundo guarda um segredo'... pois é. Guardo segredos que talvez alguma vez contei para as pessoas que vivem ao meu lado, mas de fato ainda guardo uma coisa. Na verdade o que guardo?!

Talvez eu expresse entre linhas, não de forma clara ou objetiva. Na verdade é tudo tão confuso!
Essa solidão guardada no peito me deixa complexada muitas vezes.

Mas bem... É tão ruim não saber quem é você de fato. O que quer, o que fazer, o que esperar de si próprio. Eu tento me encontrar nessa loucura e acabo me perdendo mais! Tento arranjar respostas para as coisas que me causam dor, mas nunca são boas para amenizar.
Procurar um caminho diferente a cada momento me intriga e deprime, pois queria ser mais objetiva, prática e realista (mas sem perder o lado sonhador). Ter foco e não desistir facilmente!

Nem tudo é do jeito que queremos. E tudo isso sempre me dá um nó na garganta. Pois pensar demais é o meu problema; tentar entender demais, argumentar.

As vezes sinto uma dor no coração e sem motivos. Talvez uma infelicidade comigo mesma e meus erros. Como isso pode causar consequências e arrependimentos. Mas acho que esse sentimento de impotência passa... pelo menos acho!

Confusa sempre estou, quero abraçar o mundo e não tenho forças nos braços com tanto peso, mas minha ganancia me engole. Gostaria de perder isso também... tentar dar mais valor ao simples, as coisas simples... dar valor ao que eu já tenho. Não que eu deva ser acomodada e sim satisfeita.
Eu vivia dizendo que estava bom, mas de fato não tá. O que eu queria mesmo era tudo e mais um pouco. Talvez o valor da perda ainda não tenha me ensinado nada, mas ainda tenho esperanças em mim, é o que me resta.

Quem precisa acreditar em mim no final? Apenas eu. E tudo isso muitas vezes me afunda mais ainda na dor. Sei lá. É tão ruim ser sozinho, viver sozinho... mas ao mesmo tempo conseguir, vencer sozinho, perceber que tem capacidade é muito bom.

Sei lá... sou uma contradição. E não gosto de ser assim... na verdade, de vez em quando eu até acho beleza nisso. ENFIM.

Dar valor a vida, ser feliz!

Pensamentos avulsos, sem nexo. Pois é... preciso arranjar logo algo para fazer.