terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Encontros e despedidas


Nada como juntar todas as tranqueiras do seu quarto, do seu armário e joga-las fora. Nada como guardar os ingressos de shows, de exposições, cartas e fotos numa caixinha. Aquela caixinha de lembranças que enchem o coração de alegria quando abro. Nada como ter um ano novo para restabelecer a ordem e seguir novas perspectivas.

2013 foi um ano difícil. Saúde, amores, amizades, casos e acasos. Talvez até mais difícil do que os outros, pois neste ano abri a porta para o auto conhecimento. É difícil entender o porque somos assim e porque agimos de determinado modo. E talvez nunca saibamos de fato. Mas a mim, eu descobri algumas coisas.
Saber o porque você age de determinado modo é um pouco crucificante quando o motivo não lhe agrada. Saber que ainda existem feridas, que existem coisas que você não esqueceu. Que você de fato não queria esquecer. Saber que algumas pessoas ainda te magoam muito, assim como determinadas situações.

Esse ano fiz diversas coisas que não gostei. Trai, menti, falei mal de quem não devia, julguei gente que não merecia, me aproximei de quem não merecia, me afastei de quem eu gostava. Mas isso não é novidade, né?! A vida é uma soma de diversos erros e acertos. Talvez essa ainda seja minha maior dificuldade... aceitar que eu também erro. Que apesar de todos os meus esforços, vou acabar me magoando, vou acabar magoando alguém, vou chorar, vou sorrir... e assim vai. A vida segue. A vida já subtrai muito, que fique apenas o que soma.

É engraçado, pois sou apegada a cada detalhe. A cada carta e foto. Gosto das minhas lembranças, como já disse... mas chegado o momento de viver novas. De abrir portas para o que há de bom para permanecer na minha vida. Ou até mesmo chegar e ir embora... desde que seja eterno. Eterno nessa caixinha.
Lembrar que tive pessoas especiais, umas que ficaram e outras que se foram. Lembrar que não importa o que aconteça essas pessoas que foram, serão importantes para mim de algum modo. Diferente cada uma da outra. Cada uma com seu jeito e cada uma com sua importância.
Abrir e lembrar de cada momento... É uma grande saudade! Mas que o presente vire uma saudade do futuro... e que eu pare de afastar as coisas boas que aparecem para mim com esse medo todo. Com essa mania de perfeição. Que eu aprenda com os erros e não me culpe para o resto da vida. Que eu entenda que cada um viveu e vive sua vida. Que eu perdoe os outros, mas principalmente a mim mesma. Que eu me de novas chances e dê novas chances para novas e velhas pessoas. Que eu caminha em frente... E lembre do passado como uma lembrança e não como um momento que quero viver novamente. Que eu entenda que cada pessoa tem um jeito e sua especialidade. Que esses fiquem para SOMAR!!

Já que 2013 foi o ano oficial da pagação do louco e dos mimimis... termino o meu último mimimi do ano fechando essa caixinha e abrindo outra.


Sem comentários:

Enviar um comentário