quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Desperte sua alma


No dia a dia da nossa rotina, acabamos esquecendo de coisas essenciais que são próprias do nosso ser. É normal sentir um desespero dentro de nós que vivemos nessa metrópole louca e cheia. E é ainda mais normal vocês já lerem esse tipo de texto, mas é bom reforçar. Reforçar o quanto viajar faz bem. O quanto estar próximo a natureza enobrece o ar dos nossos pulmões. O quanto é bom descobrir o que você é e o que você precisa para ter momentos bons.

É engraçado, mas algum tempo atrás eu estava numa crise e se colocasse a Thaiane antiga com a Thaiane "nova", digamos que a primeira iria rir muito e debochar. Não digo que mudei completamente. Ainda restam aqueles dias de crises existenciais infinitas e bads trips sem motivos. Mas após descobrir a ânsia do meu ser, acredito que as coisas andam bem mais fáceis. Parece muito estranho, e quem me conhece, vai achar que isso é mimimi demais para mim. Contudo, anteriormente estava quase entrando numa síndrome do pânico. Uma agonia fora do comum, um vazio tão aterrorizante que chegava a doer. Hoje, apesar dos momentos ruins, lembro das experiências que passei... e é claro das viagens, das risadas e das situações que deixam meu coração cheio.


Esse fim de semana fui para uma cidade mística (São Thomé das Letras - MG). E é tão mística que eu voltei somando um dread, um tererê, algumas pedras preciosas a mais e uma linda história para contar. E não digo apenas por ir para a cidade, mas sim, pelas pessoas que me acompanharam e pelas coisas que a natureza dali me fizeram sentir.

Sentimentalismo além do comum, mas gosto assim. Gosto de sentir que a emoção boa ainda pode me fazer e não mais o medo como antes. Apareceu diante de mim uma situação estranha, que pelas forças do universo e do meu pensamento, acabaram em ótimas coisas e um conhecimento maior.

Sempre achei que fosse fraca, mas nos momentos que foi totalmente necessário testar minha capacidade, fui além, me segurei no certo e pensei positivamente. Cresci quando aprendi que um banho de cachoeira seria o melhor "tira zica" da fase da terra. Cresci quando descobri que meus amigos são a face da minha disponibilidade e da minha boa atração para bons sentimentos. Cresci quando aprendi que não existiria coisa melhor do que conhecer cada pedacinho de uma cidade pequena fora do mapa ou fora de rota da maioria. Que ficar isolado do mundo cão que vivemos aqui, seria uma ótima oportunidade de ver e reparar que existem outras coisas, outras energias e que elas não vão deixar você sozinha.

Antes de ir, estava há uma semana com problemas de sono por causa da ansiedade infundada. Estava numa crise de auto-estima mais além do que tenho por costume. Desde que voltei, tive sonhos tão belos quanto um momento que você gostaria de viver novamente... como um replay da sua própria felicidade.


Desculpem o tanto esotérico que está esse post, mas antes que você fale que eu tive um choque pseudo-espiritual, a intenção no texto nada mais é do que escrever o quanto eu fui e o quanto sou agora. E talvez, te dar um UP nesta quinta-feira. Falar também sobre o quanto a gente não da valor as verdadeiras coisas que o nosso ser almeja. Um abraço, uma bondade, um olhar, um simples gesto, olhar as estrelas, ver uma estrela cadente e deixar o pedido registrado. Pare e pense. Desperte-se!

Desperte sua alma para o que ela deseja. Se não for viajar, que seja ouvindo uma música nova, que seja indo para um show, que seja passando momentos com pessoas especiais. Desperte para o bom desejo de que todos aqui almejam SIM ser feliz. E por mais que a vida nos coloque em situações de teste, deseje e desperte a sua capacidade de SEGUIR... Seguir e ver. Enxergar o que há dentro de você e o que pode te fazer bem. Enfim... deseje, faça e crie. Crie situações boas, desperte a paz em você mesmo. Pois sabemos, que a vida tem seus momentos difíceis, mas ela, pode sim, ser encantadora!

2 comentários:

  1. Adorei o texto. Me fez refletir sobre uma situação muito parecida que ocorreu comigo há alguns dias. Estive muito mal e quem via de fora parecia que era só besteira, coisa de "adolescente". Infelizmente não era. Estava realmente mal.

    Passei muitas noites péssimo com isso. Não sabia o que fazer nem como agir. Fiquei sem ter uma real direção. Procurei amigos mas não tive nem coragem de comentar direito o que era. Na verdade, não era nada. Eu só estava infeliz. Muito infeliz. Nada dava muito certo e nada parecia ter previsão de dar certo.

    Uma única amiga me ajudou de forma efetiva. Me fez levantar, sabe? Acreditar que aquilo mudaria e mudou. Consegui me reerguer e, por incrível que pareça, nos lugares mais estranhos que podia imaginar.

    Há tempos venho repudiando noitadas e "amigos" descartáveis. E há dias essas duas coisas vêm me mantendo de pé. Tenho me divertido mais do que nunca e as noites que antes eram de solidão passaram a ser bem acompanhadas e com muitas horas de riso. Comecei a enxergar coisas boas em mim, coisas que muitos faziam questão de apontar, por pura gentileza. Sabe quando você se acha bom em algo, mas nenhum amigo nunca teve coragem de falar? Então, essas pequenas coisas que nos fazem andar.

    Também comecei a enxergar essa coisa, de viajar, como uma coisa plausível. Antes achava que era só perda de tempo, gastar dinheiro à toa, sabe? Hoje aprendi que quando você viaja, está comprando experiências, ao invés de comprar bens. E isso acaba valendo mais do que um celular novo ou um videogame de última geração. Às vezes, viajar é só o que você precisa, pra entender que nós somos menores do que deveríamos e maiores do que gostaríamos.

    Adorei o texto e sua reflexão. Parabéns e tenha uma ótima semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Engraçado que as vezes tentamos evitar enxergar as coisas verdadeiramente boas nas nossas vidas. Ou só enxergar só as coisas que nos colocam para baixo. Mas quando damos um start no pensamento e no nosso interior, tudo começa a fazer mais gosto e sentido.
      Obrigada Van. Sempre participa dos textos hehehe

      Eliminar