quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Apenas mais 1.

Essa minha sede insaciável de pequenos detalhes... Tão facéis e tão importantes no final do dia. Aqueles pequenos gestos que me fazem dormir melhor. A procura e sempre a espera de mais! Mas o quanto é mais? Porque tenho que depender de outros para poder ter uma noite bem dormida?
Odeio ser dependente. Odeio ter que precisar de ajuda. Odeio ter que pedir ajuda. Mas preciso... pessoas, ajuda... Não nego! Apenas não queria depender tanto assim! Algum tempo sozinha me mostrou que consigo me "virar", mas seria completamente ruim se fizesse. Afinal... Quem gosta de viver sozinho?! Eu só queria não depender!! Porque quando menos espera, isso evapora e você fica sem rumo. A procura de outro objetivo para segurar e depender.
Vícios... Nunca fui viciada em algo ruim (não que eu me lembre). Vícios me atrapalham! Pode ser bom ou ruim. Para mim vícios te limitam... te prendem! Desejo de saciar o vicio e desejo de saciar do vicio. Sempre num ciclo interminável de dependência!
Todas as coisas tem um fim, relevantes ou não. Como é de costume para todo viciado, se livrar do vicio é impotente, difícil, mas possível! Porém, na sua mente, o que mais quer é saciar ainda mais. Talvez o vicio seja perda de tempo. Mas não me iludo em querer perde-los. Meus vícios podem mudar, mas acredito que sempre terei um para depender e para saciar. Seguindo em um caminho de "prazer" e de satisfação. Mas porque tenho tanta sede?
Sede de carinho, sede de atenção, sede de afeto, sede de gentileza... Sede de amor. Um vicio belo e talvez não tão completo. Essa vontade de mais... Essa sede!!
Nada costuma ser satisfatório, nada é o bastante nesse meu vicio. Nesse apartamento fechado, com pouco ar, pouca alegria, pouco desejo... Pouca vontade de viver!
Sede de viver a vida de verdade. (Desculpas a parte, o tempo deveria ser seu amigo, não seu inimigo!) Usá-lo para o seu beneficio, seu prazer, sua satisfação... seu vicio!
Usa-lo de alguma forma durante o trabalho, durante os estudos, durantes as tarefas para fazer... Impossível? Não!! Apenas usar o vicio como estratégia de saída, de ajuda, mas não depender dele para tudo.
Viver de coisas simples. Eu vivo, entretanto ainda necessito de algo forte e mais cortante. Esse vicio de amar, de paixão... Tão bom, mas tão ruim. Tão certo, mas tão duvidoso. Tão maravilhoso, mas tão absurdo... incoerente, contraditório. Nem ligo! Assumo ser viciada no que é mais viciante no mundo! E não me sinto culpada por depender excessivamente disso. Das outras coisas me sinto sim, (pessoas, ajuda, trabalho, dinheiro, estudos) mas disso... quero sempre, sempre mais e mais. All you need is love!




*

Sem comentários:

Enviar um comentário