terça-feira, 13 de maio de 2014

Neste lago das almas, eu perco todo o medo


Esse ano foi o primeiro ano que ganhei flores. No meu aniversário de 24 anos. Ganhei flores das minhas melhores amigas da faculdade. Aquilo realmente me tocou como acredito que deve. Simples, fácil e generoso. Minha mãe sempre falou: "Dê flores aos vivos, porque aos mortos não se vale mais nada." E é verdade. Mães geralmente estão certas com suas frases, mas essa frase me tocou um pouco mais.

Fiquei pensando em todos os momentos atuais da minha vida e notei o quanto estou individualista. Mais do que necessário e além do que jamais quis ser. O quanto o egoísmo muitas vezes é tão exagerado que nos cega por tanto tempo, que somos incapazes de notar a veracidade dos nossos atos. As consequências!

Eu que tanto erro e costumo ser intolerante a eles, vi que tudo isso estava me impregnando de uma forma auto-destrutiva. Cada vez mais que viramos esses serem egoístas, mais estamos afastados das pessoas que amamos e que queremos estar perto. Nada nem ninguém pode discordar disso. Acredito que ninguém nesse mundo vive sozinho!

Mas por que andamos tão solitários, afinal? Para quem vive aqui, sabe a luta de leões que enfrentamos todos os dias. No nosso trabalho, na escola, em casa, no trânsito, na rua... Em qualquer lugar! Tudo é questão de luta, raiva, ódio dentro desta cidade louca. Não é de se surpreender. Estamos aqui, vivendo para tentar ter uma vida melhor, mas será que de tanto lutar estamos de fato conseguindo viver?

Onde a cada mar de ego com uma postagem em facebook, com cada treta no busão por qualquer motivo, por qualquer desentendimento familiar, ou no trabalho.. estamos realmente vendo o que nossas atitudes podem causar? E causar além de nós mesmos, mas para o próximo? Para nossos irmãos, para cada pessoa que também luta para ser algo, ter algo...

Penso: vocês sentem solidão? Vocês sentem que as pessoas ao seu redor se sentem solitárias? Outro dia vi uma menina tão nova chorando na rua. O motivo jamais vou saber, mas senti o sofrimento dentro de cada lágrima. E olha que engraçado, apesar de todos nossos problemas, todo mundo quer alguém por perto nessas horas. Então, por que tanta discórdia em cada pedacinho de ar que respiramos? Fiquei com medo de perguntar e ser invasiva. Pois é isso que sentimos... Medo de estar próximo. Medo de ser simples. Medo de não pertencer a alguém. Medo de ser incapaz, de não ser feliz, de não viver. Medo de desperdiçar tempo. Medo de sermos humanos... Que para mim é ter sentimento. Ter a consciência. Unir a razão com a emoção, e tentar buscar um equilíbrio.

Talvez seja exagero, mas vejo as pessoas não confiarem mais, não desejarem o bem e não participarem mais. Inclusive eu. Isso tudo pode ser trágico e que volta a minha premissa inicial... O simples pode ser feito a qualquer hora, a qualquer momento, a cada minuto que não te custa absolutamente nada. Ser grato por isso! Parar de enxergar apenas suas dificuldades e partir para o reconhecimento de um bem maior. Maior do que qualquer outra célula a mais na carteira ou um sapato no armário.

Paremos de pensar que cada um tem o que merece; todos temos humanização dentro de nós, não temos? Nos excluirmos do papel de "ser humano" na sociedade. Somos seres egoístas em busca de mais egoísmo. Deixe-se voltar a permitir sentimentos. Permita-se ao bem e ao amor. Para o seu bem e para o bem de todos que você gosta.

Não é fácil! É difícil... ainda mais quando estamos tão cansados. Cansados de tentar e não ter. Não é fácil ver a maldade, tanta maldade, e não querer jogar tudo pelos ares. Querer que todos se fodam! E cada um tem um lado bom e um lado ruim, mas que nós sempre busquemos a voltar ao lado bom. Que seja a partir daí, que paremos de sermos egoístas e tão mesquinhos com tudo e todos.

Tento aprender!

Que sempre me permita a acreditar em mim mesma e principalmente acreditar nos meus iguais. Nada, mas nada será válido quando morrer. Apenas a sua lembrança de uma vida sem arrependimentos. Uma vida composta e cheia de pessoas que te ensinaram, que te amaram, que te fizeram rir e chorar. E, por fim, ser grata a cada coisinha simples. "The little things... there's nothing bigger, is there?"


8 comentários:

  1. Nossa Thay, me identifiquei muito com seu texto, inclusive na parte de se sentir evasiva, um belo dia encontrei uma garota chorando no ônibus e mesmo com este receio, fui até ela e a entreguei um livro chamado" Vigiai e Orai " um livro de origem espirita psicografado com palavras e frases de conforto. Foi a melhor atitude que pude tomar, aquele livro me ajudou e também pode ajudá-la. Ela havia perdido um sobrinho de 2 anos na família e, posteriormente, ela me ligou ( eu havia deixado o numero no verso ) nos conhecemos, ficamos juntos por um período e hoje somos grandes amigos. Sou do tipo que não consegue ficar sozinho e sinto um desespero enorme quando assim me sinto, mas hoje, na situação atual em que vivemos com essa sociedade receosa e repleta de medos e precauções aprendemos a lidar com as diferenças e nos doamos a confiar sem receber o mesmo em troca em busca de uma amizade ou até mesmo uma companhia. É difícil, mas aos poucos também tento aprender...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que todos nossos erros nos ensinem a sermos melhores. E que todo esse medo de se aproximar mais do ser humano, termine!

      Eliminar
  2. Nossa! Devo dizer que me emocionei muito com o texto. Você tá de parabéns. Poucas vezes vi você escrever um texto dessa maneira. Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Os textos mais antigos tem pegadas mais dramáticas hahahha Obrigada por sempre acompanhar van <3

      Eliminar
  3. Nos dias de hoje, onde as relações sociais estão mais superficiais que nunca, é até comum se sentir só. Penso que nos prendemos muito a imagem e por isso não deixamos nossos sentimentos transparecerem, o que nos leva a essa isolação. Temos medo de mostrar fraqueza, de chorar, errar ou parecer frágil, mas não tememos quando fingimos estar sempre felizes...
    E é sim difícil romper nosso mundinho para nos preocupar com os outros. Ás vezes estamos tão acostumados com nosso meio que se torna extraordinário enxergar os fatos com os olhos de outra pessoa que vive em outra situação... Mas o importante é sempre tentar, não é?

    Abraços.
    Perspectiva Nova

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com certeza Adeisa. Em busca sempre de melhorar e procurar o melhor equilíbrio. Obrigada por participar.

      Eliminar
  4. Recortes solitários
    “Quanto à catalonha, ao prepará-la, deve-se escorrer bem antes de adicionar tempero. Ah, o cuidado simples, para aproveitar o que realmente é importante, não largando por aí, misturando o que é importante com o que precisamos deixar de lado. E claro, tudo na vida precisa de tempero, precisa de uma parte de nós, daquilo que gostamos, para realmente vivermos dias agradáveis. ”

    “Tão racional quanto os leões lutando nas Workstations ou os cachorros loucos uivando no trânsito.”

    “(BTW, acho que tem algo de muito errado comigo em relação a isso, eu tenho notado que minhas conversas com as pessoas tem um objetivo geral e isso me deixa incomodado...Acho que essa construção de frase não faz sentido nenhum..haha)

    Hahaha não tem de se sentir incomodado por ir falar com algm com um propósito específico, isso é normal, não da pra jogar conversa fora com todo mundo o tempo todo

    é... não dá mesmo! Mas acho que tenho que jogar mais conversa fora de vez em quando... isso é bom!
    Eu me sinto incomodado por que eu sinto que as pessoas a minha volta tem feito isso bastante... Minha irmã mesmo não mandou um "a" de mensagem depois que eu saí de casa não sendo pra pedir algo.”.

    “Acho que isso resume o amor de forma simples e profunda!

    Apavora um pouquinho imaginar que nós podemos passar a vida toda sendo APENAS úteis as pessoas, apavora muito eu diria! rs

    "Porque só nos ama, só vai ficar até o fim, aquele que depois da nossa utilidade descobrir o nosso o significado!"

    me fez refletir!

    Mandou bem o Padre Popstar!”

    “É princípio, é meio, é fim
    A convicção se precipita na pressão
    Procuro outros meios, estou cansado de culpa a TIM
    Afinal, não somos bits, somos sangue e emoção!”

    “É muito estranho ouvir tons de mensagem imaginárias embutidos nas suas músicas, melhor deslogar :S”

    “I've been waiting for a guide to come and take me by the hand,
    Could these sensations make me feel the pleasures of a normal man?
    These sensations barely interest me for another day,
    I've got the spirit, lose the feeling, take the shock away.”


    “Rastejando em círculos, sofrendo
    Teu pouco caso é o novo vilão, eu acho
    O piso brilha, estou convencendo
    Pisam mais em mim do que no capacho”

    Mais pra simplificar: melhor encher o coração do máximo dessas pequenas coisinhas boas que conseguir e instintivamente espalhar aquilo que está dentro de você!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que aproveitemos essas pequenas coisas. Que demos valor a cada momento que nos enche, que nos preenche. A cada pessoa que consegue participar deste momento.
      Jamais será possível espalhar-se por completo, mas que quando feito, seja verdadeiro e seja intenso.
      Morremos sozinhos, tomamos decisões sozinhos, mas não vivemos por nós mesmos.
      Os momentos são feitos de gente, de contato, de amor. Não quero que no final da minha vida seja alguém solitário, sem ninguém nas minhas lembranças para agradecer.
      Que a entrega seja de maneira natural e não tão dolorida como é atualmente.

      Eliminar