domingo, 15 de janeiro de 2012

Amor próprio, aonde compra?

Fica novamente mais um rastro de humilhação, de falta de respeito, de ingenuidade, de falta de senso. Mais uma vez eu passo por isso, e me deixo passar. Me permito estar assim, me permito me jogar nessa situação. Nesse joguinho! Me permito ser assim, porque de fato nos últimos anos, sempre fui assim.
A falta de capacidade de viver com si próprio. De se olhar no espelho e se achar bom o suficiente. A tal frase de "AUTO SUFICIÊNCIA". Cadê? Na verdade, posso até falar que não, mas já tive isso. Apesar de toda a carência envolvida, conseguia muito bem ser eu mesma e feliz sendo daquela maneira. Sem prestar contas e explicações a ninguém. Se fosse para ir pro pagode, por mais que de fato não gostasse do estilo musical, eu ia! E isso me unia de alguns amigos e me deixava feliz. Assim... pronto e fácil. Mas agora parece que toda essa fadiga de me erguer dá um pé para trás na situação (essa do pagode foi só um exemplo tosco hahaha).

Toda vez chorar, me amolar e me rastejar. Até quando? Será que tudo isso é necessário?
Espero que não, espero ter aprendido. Espero ser forte para aceitar! Espero continuar aprendendo!!

Em meio disso, sei que sou fraca e necessitada de atenção de outro alguém. Mas porra, até quando? Será que é só para isso que eu vou viver... a procura de alguém que me complete?
Eu preciso me completar. Eu preciso ME ACHAR.
Essa parte é difícil, para todos são. Mas sei lá... em meio de drugs and etc, eu me incluo na situação de decadência e desespero. Talvez sóbria eu aceite tudo, eu queira tudo isso, eu vou seguir um caminho novo. But, em um momento, a gente desvia, tem recaídas.
Mas isso não é bom é?! Viver assim, tão infeliz? Por não aceitar um fim??
CHEGA!

"Credo. Quer auto piedade Thaiane? Quer pena? Quer dó?!" palavras do anjinho mal e racional do lado direito do meu ouvido.
"Não. Tudo o que ela quer é paz" anjinho caridoso do lado esquerdo.
"Paz??? Que paz é essa? Thaiane você não sabe o que é isso, se mova, sua idiota! OTÁRIA!"
"afff, na verdade tenho que admitir, tem que se mover mesmo" concorda o bondoso.
"Mas afinal, eu acho que não tenho forças, de começar tudo de novo, criar tudo de novo, ser assim tudo de novo. Aceitar talvez uma solidão!" Eu penso.
"Você precisa de amor próprio e sabe disso! Chega de putaria! Aonde compra essa merda?" E eu fecho diálogos internos.


Sem comentários:

Enviar um comentário